239 dias – A tal da Flor

A tal da Flor é assim mesmo, sonhadora. Está longe de ser uma mulher “moderninha”, por mais que já tenha tentado um dia. A tal da Flor é essa que quando foi questionada sobre como desceria uma montanha e atravessaria um rio de correnteza forte, respondeu: Voando. Todos riram. Criaram as melhores estratégias para descerem a montanha e atravessarem o rio. Construíram barcos, nadaram no rio, vestiram-se com equipamentos de rapel, inventaram cordas, desceram a montanha na marra, segurando nas pedras, nas raízes das plantas. E a Flor simplesmente tirou os pés do chão e desceu a montanha calmamente, observando a beleza das árvores, sentindo o vento no rosto, ouvindo o canto dos pássaros, admirando o horizonte, lindo. A correnteza do rio não a assustou, na verdade o rio era lindo visto de cima. A tal da Flor é assim mesmo. Não vai mudar, não adianta. Ela sonha mesmo, fantasia mesmo. Ela criou o impossível, não é assim tão concreta e materialista como deveria ser. Se ela é feliz assim? Sim e não. Mas a tal da Flor gosta desse jeito incomum de ser e não quer mais ficar tentando ser o que ela não é.

A tal da Flor é assim mesmo. É dessas que acha que ninguém vai gostar dela porque ela é diferente demais. E por isso ela tenta não ficar pedindo nada pra ninguém, por isso ela prefere desabafar com o papel pra não ocupar os ouvidos alheios. Não aprende que a grande maioria das pessoas que a conheceram de verdade gostam dela até hoje. Ela não consegue reconhecer essas coisas e sempre se surpreende. Como quando ela estava se sentindo muito mal na faculdade em uma tarde qualquer, e ligou para uma amiga (que ela nunca pensou que seria sua amiga, justamente pelas grandes diferenças) e falou: Amiga, tem como você vir aqui na faculdade? Eu não estou me sentindo bem. A resposta foi: Daqui 10 minutos eu chego aí. A amiga chegou em 10 minutos, a ouviu desabafar até que ela se sentisse mais leve. Hoje esta mesma amiga precisa da Flor. E por muitos dias ela fica ao lado da amiga, durante a manhã, durante a tarde, algumas vezes durante a noite. A Flor é dessas que ainda acreditam que “tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas“. Só que não é uma responsabilidade que obriga. É uma responsabilidade que diz que as pessoas neste mundo são elos de uma mesma corrente, e que quem está ao nosso lado está ligado a nós. As pessoas precisam umas das outras, precisam cuidar e receberem cuidados. Não tem nada a ver com altruísmo. É uma troca.

A tal da Flor é assim mesmo, adora o impossível e se atrai pelo que não existe. Já se sentiu um peixinho fora d’água até descobrir que todo mundo é um pouco assim, nem que seja só um pouquinho. Ela só é exagerada.

A tal da Flor é assim mesmo, criou este blog afogada em lágrimas pensando que alguma coisa sobrenatural e maluca estava influenciando o seu amor. Hoje ela até sorri quando lembra das explicações fantasiosas que ela criou pra justificar o fim do seu namoro perfeito.

A tal da Flor é assim mesmo, ela precisa fantasiar um pouco e não tem vergonha disso. Como um amigo dela disse há alguns dias: Existe um aviso de FRÁGIL na sua testa. E por isso ela precisa de doses pequenas de realidade, aos poucos, pra ir se acostumando. Senão ela se quebra.

A tal da Flor é assim mesmo, descobriu na sua dor uma maneira de conseguir deixar que os outros a ajudassem com este blog, e se ela não se sentisse tão grata e agora tentasse ajudar quem a procura aqui, ela não seria a tal da Flor.

Anúncios

Comments

  1. Q texto lindo Flor..vc ta ajudando muito viu?eu pelo menos me sinto com a alma lavada..obrigada;;

    Curtir

  2. Essa tal dessa Flor é bela, isso sim. Não por conta de pétalas vermelhas de tão vivas, nem pelo aroma adocicado que não é enjoativo e nada amargo, ou pelo verde das folhas que embelezam mais ainda ao contrastar com sua aura escarlate. Bela essa Flor é por não ser apenas flor, mas também ser humana e nesse misto de desejos floridos, tristezas clorofiladas e palavras aromatizadas se torna um ser único e iniguilavél… Uma moça-flor, uma Florisbella… perdão, A Florisbella, pois não se pode ser uma quando se é única. =)

    É… To de bom humor hoje (minto, to de bom humor agora) e quando to de bom humor eu escrevo (quando eu to deprimido também escrevo, mas deixa pra lá… =p). Seu texto também serviu bastante pra inspirar, né? ^^
    Pra tu ver, hoje eu escrevi uma poesia e tive uma ótima idéia pra um conto pequenino que vou escrever amanhã por que to com preguiça. Sei que deveria escrever hoje, mas como diria meu grande mestre Quintana: “A preguiça é a mãe do progresso.” ;P

    Beijos Bella e espero que meu bom humor noturno temporário tenha deixado você com algum bom humor também. ^^

    Curtir

  3. acho que sou um tanto parecida com você viu?!
    lindo o texto, e é bom quando percebemos isso na gente, algo bom,
    é mais amor próprio, mais vida!
    Um lindo fds!
    beeijo ;*

    Curtir

  4. Um post lindíssimo… e (felizmente) realista!
    Gosto desta tua transformação em flor… porque o és mesmo!
    Exibe então a tua beleza… primeiro para ti, para te convenceres dela!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: