184 dias – Não sou escritora

Não sou escritora. Não sei jogar com as palavras, muito menos uso palavras difíceis que levam as pessoas a procurarem o seu significado. Não faço rimas, cometo erros de português e concordância, uso abreviações, e coloco vírgulas onde não precisa. Não procuro me inspirar pra escrever e pra quem não sabe, todos os dias eu […]

183 dias – Uma outra história

Esta poderia ser outra história de amor. Menina bonita, inteligente, prendada e virgem. Rapaz que também é tudo isso mas só precisa da menina para perceber. Ela anda pelos corredores do colégio carregando seus cadernos e ele, apressado, esbarra nela derrubando seus pertences. Começam a juntar o que está espalhado pelo chão e se olham. […]

182 dias – É tão estranho

Ainda não aprendi a lidar com essa saudade. Talvez por isso os meus atos sejam tão contraditórios. Quero ficar tanto quanto sei que devo ir. Encontro em mim uma força que me levanta da mesma forma que me leva ao chão. Escolho você. Não sei até que ponto eu consigo ir. É tão estranho ainda […]

180 dias – Sumi

“Sumi porque só faço besteira em sua presença. Fico muda quando deveria verbalizar, digo um absurdo atrás do outro quando melhor seria silenciar, faço brincadeiras de mau gosto e sofro antes, durante e depois de te encontrar. Sumi porque não há futuro e isso não é o mais difícil de lidar, pior é não ter […]

179 dias – Sim, eu fugi

É complicado explicar algo que ainda não está muito bem explicado pra mim, mas hoje eu estava sentada num banco da faculdade pensando na minha vida e uma menina sentada no banco do lado começou a puxar conversa: -Nossa, que chuva, né ? Eu fiquei extremamente incomodada com aquilo. Como aquela pessoa ousava atrapalhar o […]

178 dias – O amargo

Gosto amargo na boca. Resultado  de uma história que um dia já foi doce. Doce como algodão doce. Colorida e com cheiro de flores. O doce no presente eu não sinto, só restou o amargo. Misturado com o peso do que poderia ser e não foi. É uma vontade que não passa, continua não sei por […]

177 dias – Pausa para um café

As coisas modificam-se de tal forma, que estou conseguindo até dar uma pausa para um café, conversar com as amigas e colocar trabalhos da faculdade que estão atrasados em dia. Mesmo sabendo que a pausa é passageira, afinal, não passa de uma pausa, sinto-me aliviada ao saber que hoje consigo me dedicar a outras atividades […]

176 dias – Eu, em poucas palavras

Sou aquele tipo de mulher que carrega um mundo de sonhos nas costas e ainda consegue tirar os pés do chão. Criadora de sonhos, só não tenho o mesmo talento para realizá-los. Sou personagem de Almodovár, com drama de novela mexicana. Não aprendi a medir, muito menos dosar. Dona de um mundo interno desconhecido, me […]

175 dias – Os dias sem ele

Os dias sem ele não são mais insuportáveis. Nem doentes. Ainda existe a angústia e o aperto no peito, mas nada que seja desesperador. Acalmo o meu coração sonhando com reencontros que nunca acontecerão. Sorrisos e abraços que só fazem parte das minhas lembranças. Detalhes, olhares, cheiros, toques… e a voz. Sou apaixonada por aquela […]

174 dias – Sobra Tanta Falta

173 dias – Amar Demais

Amar demais. Significa se amar menos ? Meu problema é amar demais ou querer demais ? Ou o meu problema é o medo de perder este amor ? Até que ponto eu devo continuar amando ? Até que ponto eu devo deixar de querer ? E o medo ? Quando penso que amo demais, não […]

170 dias – Aflição

Minha alma pede vida, pede paz, pede amor! Não consigo ficar parada. Estou tão inquieta por dentro que poderia dizer que existe outro mundo dentro de mim. Um mundo que protesta. Com uma força capaz de me levantar quando eu quero continuar deitada. Mergulhada neste sentimento grandioso que me dá o mundo ao mesmo tempo […]

168 dias – Brilha onde estiver!

Amor, Você me deu uma centena de apelidos. Lembra quando disse que eu era a sua estrela ? Me senti tão iluminada. Nada mais justo do que dizer que você era o meu sol. Meu sol. Sua estrela. Vamos brilhar, onde estivermos!

165 dias – O Recomeço

Não tenho medo de recomeçar. Nunca tive. É engraçado perceber que passei grande parte da minha vida recomeçando, tudo. Recomecei como filha, como amiga, como namorada, como aluna, como pessoa e acredito que em todos os papéis já exercidos por mim. Sou filha de militar, as muitas mudanças de cidades me forçaram a recomeçar… na marra. […]